Gramsci e a política cultural: Estado, cultura e hegemonia

Conteúdo do artigo principal

Bruno Borja

Resumo

Antonio Gramsci dedicou grande parte do seu trabalho à reflexão e à atuação nos campos da política e da cultura. Nesse artigo, buscamos explorar essas duas vertentes de sua crítica ao capitalismo, focando especialmente na política cultural. Tratamos da interpretação de Gramsci sobre a relação entre o desenvolvimento histórico do Estado e a política cultural, quando se percebe como o desenvolvimento do capitalismo colocou a necessidade do Estado stricto sensu abarcar novas funções, com destaque para a função educativa, quando implementa sua política cultural e se torna um Estado de cultura. Avançaremos para a interpretação de Gramsci sobre o âmbito da sociedade civil, onde ocorre uma luta pela hegemonia através da política cultural das classes em disputa, com papel decisivo dos aparelhos privados de hegemonia, atuando para a formação do senso comum e da opinião pública.

Detalhes do artigo

Seção
Artigos

Referências

BORJA, Bruno. “O capital e a cultura: elementos de economia política da cultura em Marx”, Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política. Niterói, n. 56, mai.-ago., 2020, pp. 83-109

BOTELHO, Isaura. “Dimensões da cultura e políticas públicas”, São Paulo em pers-pectiva. São Paulo, v. 15, n. 2, abr., 2001.

CALABRE, Lia. Políticas culturais no Brasil: dos anos 1930 ao século XXI. Rio de Ja-neiro: Editora FGV, 2009.

CASTELO, Rodrigo. O social-liberalismo: auge e crise da supremacia burguesa na era neoliberal. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

COUTINHO, Carlos Nelson. A dualidade de poderes: introdução à teoria marxista de Estado e revolução. São Paulo: Brasiliense, 1985.

COUTINHO, Carlos Nelson. Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

COUTINHO, Carlos Nelson. “Os intelectuais e a organização da cultura”. In: COU-TINHO, C. N. Cultura e sociedade no Brasil: ensaios sobre ideias e formas. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. “Políticas culturais e crise de desenvolvimento: um balanço latino-americano”. In: GARCÍA CANCLINI, N. Política cultural: con-ceito, trajetória e reflexões. Organização e tradução de Renata Rocha e Juan Ignacio Brizuela. Salvador: EDUFBA, 2019.

GRAMSCI, Antonio. Literatura e vida nacional. Tradução e seleção de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Volume 4. Temas da cultura. Ação Católi-ca. Americanismo e fordismo. Edição e tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GRAMSCI, Antonio. O leitor de Gramsci: escritos escolhidos 1916-1935. Organização e tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Volume 3. Maquiavel: notas sobre o Esta-do e a política. Edição e tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Volume 6. Literatura. Folclore. Gramática. Edição e tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2021.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Volume 2. Os intelectuais. O princípio edu-cativo. Jornalismo. Edição e tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Ja-neiro: Civilização Brasileira, 2022.

GRUPPI. Luciano. O conceito de hegemonia em Gramsci. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2000.

HALL, Stuart. “A relevância de Gramsci para o estudo de raça e etnicidade”. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Organização de Liv Sovik. Tradução de Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Edi-tora UFMG, 2013.

LIGUORI, Guido. “Concepção do mundo”. In: LIGUORI, Guido; VOZA, Pasquale (orgs.). Dicionário gramsciano (1926-1937). Tradução de Leandro de Oliveira Galastri et al. São Paulo: Boitempo, 2017.

MARTINS, Angela; NEVES, Lúcia. Cultura e transformação social: Gramsci, Thomp-son e Williams. Campinas, SP: Mercado de letras, 2021.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. Tradução de Rubens Enderle e Leonardo de Deus. São Paulo: Boitempo Editorial, (1843) 2010.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do partido comunista. Tradução de Sueli Tomazini Barros Cassal. Porto Alegre: L&PM, (1848) 2007.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasilense, 2006.

RUBIM, Antonio Albino. “Políticas culturais no Brasil: tristes tradições, enormes desafios”. In: RUBIM, Antonio Albino; BARBALHO, Alexandre (orgs.). Políti-cas culturais no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2007.

WILLIAMS, Raymond. “Base e superestrutura na teoria da cultura marxista”. In: WILLIAMS, R. Cultura e materialismo. Tradução de André Glaser. São Paulo: Editora Unesp, 2011.